Angelica

Sou professora a 16 anos, sempre quis fazer pedagogia mas me faltavam oportunidades, agora que a consegui estou agarrando com "unhas e dentes". Dou aula em duas escolas estaduais, ambas distintas pois atendem clientelas de diferentes níveis.

12 janeiro 2007

Apresentação da UFRGS

Estas slides foram apresentados para o grupo que participei no dia 04.01.07 no pólo em São Leopoldo. Angélica Paulino

10 janeiro 2007

ECS11

Hoje em dia fala-se muito de inclusão social. Quando lemos algo a respeito achamos tudo muito bonito e algo fácil de ser realizado, afinal de contas deixamos nossos pré-conceitos de lado e damos mão à solidariedade participando assim da inclusão social.
Passamos para o lado prático das coisas, aí tudo se torna difícil e complicado, nos deparamos com pessoas, como nós ou eu, que nunca convivemos com pessoas especiais, que precisam de atenção especial, e não sabemos o que fazer, nunca fomos preparados para isso, entendo que a inclusão deve acontecer, mais com melhor preparo para nós profissionais que lhe damos direto com esse ?problema?.
Já o ministério das comunicações pretende, no próximo ano, informatizar as escolas das classes C, D e E da sociedade, isso será muito bom, principalmente para crianças que não têm acesso ao computador em suas residências. Surge-nos outro problema que é a preparação dos profissionais para desempenhar tal tarefa, haja visto, que muitos professores não têm computador em casa e tão pouco sabem manusear a máquina.
O governo federal tem como meta promover a educação infantil a um novo estatuto para que todas as crianças tenham os meios para sua formação intelectual igualmente assegurado.
No texto de A. J. Akkari, diz que ?o desenvolvimento do sistema educativo brasileiro vem sendo marcado por relações conflitantes entre diferentes grupos sociais?, será que isso acontece por falta de orientação dos profissionais, já que somos multiplicadores do conhecimento? Faltando orientação para os profissionais, que não saberão como trabalhar, faltará orientação também para as crianças que farão menos ainda, com isso as classes sociais melhor estruturadas saem na frente no quesito conhecimento, a situação piora um pouco mais no norte e nordeste do país, cujos professores, algumas vezes têm apenas o ensino fundamental incompleto.
Não vou me ater no valor mensal que uma família gasta com seu filho em uma escola da rede particular ou pública, se a educação é para todos deveria, no mínimo, ser igual a todos.
Em Novo Hamburgo a proposta político pedagógica da secretaria da educação é trabalhar a interdisciplinaridade para assim, trabalhar o respeito às diferenças, as trocas entre os iguais e a aceitação da crítica construtiva.
A acessória ao professor consiste em proporcionar-lhe momentos de reflexão e estudo que lhe permite criticar a própria prática.

18 novembro 2006


ECS8

Sobre minha trajetória no curso estou gostando, com algumas exceções, sempre quis fazer este curso, senti muita dificuldade neste trabalho, de procurar pessoas que iriam fazer parte do meu grupo, complicou-se mais nos últimos dias, tive problema de ordem tecnológica, pois fiquei sem computador por alguns dias.
Esse tipo de estudo formando-se rede é viável desde que possamos nos interagir sem que aja interferência externa e com assuntos mais atrativos de ordem profissional.
O curso nos proporciona um pensamento mais amplo dos assuntos educacionais, que é o meu interesse maior, pois sinto falta de falar mais da problemática educacional atual, que nos rodeiam no dia-a-dia.

05 novembro 2006

ECS7

ECS7

Karl Marx tinha interesses econômicos, políticos e sociológicos.
Nascido numa família de classe média, tiveram que se converterem ao cristianismo devido às restrições aos judeus no serviço público.
Começou estudar direito, mas formou-se em filosofia, tornou-se doutor nesta área.
Assumiu um cargo de chefia da redação de um jornal, mas seus artigos radicais democratas irritavam as autoridades. Foi para Paris e conheceu seu melhor amigo Friedrich Engels.
Casou-se, deste casamento teve cinco filhos, dois morreram, provavelmente devido às péssimas condições de vida a que se submetiam, lembrando que ele havia sido privado de exercer a carreira acadêmica devido às suas idéias de esquerda que eram inaceitáveis.
Durante muito tempo de sua vida viveu com artigos que publicava para jornais alemães e americanos e da ajuda financeira de seu amigo Engels.
Marx foi expulso da França e de Paris e foi em Londres que conseguiu fixar residência, teve um filho com a empregada mas que o registrou foi seu amigo Engels.
Sua esposa aceitava bem, toda essa situação pois se casou com ele por vontade própria, ele um pai convencional tentou casar bem suas filhas para poupá-las dos sofrimentos vividos por ele.
Friedrich Engels foi um filósofo alemão de família burguesa e protestante, estudou até os 17 anos depois assumiu a direção de uma das fábricas do pai.
Começam suas atividades intelectuais de escrever poesias, presta serviço militar em Berlim mas não abandona suas atividades intelectuais.
Vai para Inglaterra por exigência do pai, continuar seu aprendizado comercial, daí revolta-se contra a situação operária de pobreza e diante desta situação compõe sua primeira obra ?A Situação da Classe Trabalhadora na Inglaterra?.
Conheceu Marx de quem se tornou amigo, casa-se com uma operária da empresa do pai e começa a participar de movimentos operários e socialistas internacionais.
Depois de algum tempo, volta a dirigir a empresa do pai e a auxiliar a família de Marx que vivia praticamente na miséria depois de terem fugido das polícias da Europa continental.
Engels vendeu as ações da firma que dirigia para se dedicar à luta revolucionária.
Após a morte de Marx, Engels se dedicou a traduzir a obra inacabada de Marx, pois sua letra era horrível, demorou para fazer essa ?tradução? pois ficou muito doente.
A atitude intelectual de Engels diferencia-se de Marx: enquanto o primeiro se centra no caráter concreto dos fenômenos que estudava, o segundo faz com um alto nível de abstração.
Engels e Marx debatem com Karl Popper, Karl Kautsky, Bernstein, Rosa Luxemburgo, Lênin, Trotsky, Gramsci, Ludwig Feuerbach.
Tanto Engels como Marx eram revolucionários, debatiam sobre a crise vivida pelos proletários, queriam derrubar a sociedade capitalista, rejeitavam o materialismo teórico, debatiam a economia, a civilização moderna, enfim a distribuição da produção de riquezas.
É importante salientar a diferença de opiniões entre alguns autores, enquanto Weber fala das vários tipos de dominações, Saramago em ?O conto da ilha desconhecida? faz uma crítica ao poder, à distância entre o povo e seus governantes, ou seja, temos a produção controlada pelo povo, pois este trabalha mais para o seu patrão do que para sua própria subsistência e isso é uma exploração.

24 outubro 2006

ECS8



Olá colegas, esta é minha imagem e meu endereço eletrônico é angelica.paulino@terra.com.br

22 outubro 2006

ECS4

ECS4

A relação do indivíduo coma educação é de se aprimorar cada dia mais, mas para que isso ocorra é preciso motivação, motivação inicial da família que tem o dever de mostrar para a criança a educação independente da categoria social, seguida da motivação social, dever que dá através da sociedade como um todo.
Durkhein mostra com objetividade as definições da educação independente da cultura local, pois cada sociedade possui seu sistema de educação.
No conto da ilha desconhecida mostra claramente a vontade e decisão de uma pessoa chegar ao seu objetivo, a persistência que é natural do ser humano, sendo que esta persistência vem da educação recebida.
Na sociedade em que vivemos existem pessoas que dominam e outras que são dominadas e esta forma de dominação pode se dar de diversas formas dependendo da classe social, da etnia e de seus interesses.
Com isso podemos entender melhor nossa sociedade que é tão complexa pois vivemos com pessoas distintas e para um educador esse tipo de texto, um tanto complexo, se faz necessário.

21 outubro 2006

ECS5

ECS5

A obediência pode se dar por diversos fatores: depender do interesse sobre vantagens de quem obedece, do costume de sempre obedecer ou simplesmente pelo afeto.
Mas os tipos puros de dominação legítima são três: dominação legal, dominação tradicional e dominação carismática.
Segundo o autor a dominação legal tem como idéia básica que qualquer direito pode ser criado e modificado mediante um estatuto sancionado corretamente quanto à forma, a associação dominante é eleito e nomeada, normalmente são empresas.
Obedece-se não à pessoa em virtude de seu próprio direito, pois quem ordena também obedece, regra é para todos.
Os funcionários têm formação profissional, com pagamento fixo, graduado segundo a hierarquia do cargo, seu ideal é proceder sem ser influenciado.
A dominação legal existe também em qualquer lugar onde exista um quadro administrativo numeroso.
A burocracia constitui o tipo tecnicamente mais puro da dominação legal onde os cargos mais altos das associações políticas são os monarcas ou presidentes, eleitos pelo povo por parlamentares.
Já na dominação tradicional, sua dominação é patriarcal, quem ordena é o senhor, quem obedece são os súditos. O quadro administrativo é formado pelos servidores que obedece à uma pessoa devido a virtude de sua dignidade própria. Os servidores que fazem parte da administração são parentes ligados por vínculo de fidelidade, o quadro administrativo é totalmente dependente do senhor.
E por fim a dominação carismática, constitui aqui a força de devoção pessoal, seus tipos mais puros são a dominação do profeta, do herói guerreiro e do grande demagogo. A associação dominante é de caráter comunitário, quem manda é o líder, quem obedece é o apóstolo, obedece-se o líder por suas qualidades excepcionais. O quadro administrativo é escolhido por carisma e vocação.
Max Weber foi um intelectual e sociólogo alemão, filho de protestante, era conhecido pelo trabalho sobre sociologia da religião, era também historiador, economista e político.
Para Weber toda ação tem uma sentido, para um cientista social qualquer ato pe uma troca, um pagamento.